Clínica de Medicina Endoscópica

Av. das Américas, 500 BL. 23 Sala 309
Shopping Downtown
Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
Cep: 22640-100
Tels: (21) 3153-7990 3153-7719

Clique aqui e conheça a clinica >

Artigos ← Voltar para Artigos

» Perguntas mais frequentes sobre Videohisteroscopia

CME Clínica de Medicina Endoscópica - Rio de Janeiro

Dr. José Alexandre Portinho

 

 
 O que é histeroscopia e videohisteroscopia?

Os dois nomes podem ser utilizados para o procedimento em que o médico  visualiza o interior do útero para diagnóstico e tratamento de alterações da cavidade do útero.

A histeroscopia é uma técnica da área de Ginecologia que efetua a inspeção médica da cavidade uterina com o uso de uma ótica chamada de histeroscópio, permitindo o diagnóstico de patologias intrauterinas em consultório médico e também o tratamento, através de cirurgias, de lesões da cavidade uterina.

O procedimento de videohisteroscopia é realizado com a colocação cuidadosa do histeroscópio pela vagina, indo em direção ao canal do colo para evidenciar a cavidade uterina. Ao histeroscópio é adaptado uma fonte de luz e câmera para permitir ao médico visualizar com grande nitidez alterações ou lesões do endométrio (tecido que recobre a cavidade do útero).

Na maioria das vezes é necessário recolher amostra do tecido do interior do útero através da biópsia. Com a análise do material recolhido pela biópsia é possível fazer o exame histopatológico para o diagnóstico de lesões benignas ou malignas.

 

Onde é realizado a videohisteroscopia?

A videohisteroscopia pode ser realizado no consultório ou no hospital.

Como é a realizada a videohisteroscopia em consultório?

Previamente a realização da histeroscopia é utilizado medicação para ajudar no relaxamento, além disso, pode ser necessário a realização de anestesia local. A recomendação para a realização da vidohisteroscopia é fora do período menstrual. 

Para a realização da histeroscopia é colocado o espéculo com um lubrificante, para visualizar o interior da vagina e o colo do útero. Posteriormente será utilizado uma solução líquida para limpar o fundo da vagina e colo uterino.

A seguir é colocado o histeroscópio no orifício externo do colo do útero, para ser cuidadosamente inserido através do canal do colo em direção a cavidade uterina.

Para melhor visualização da cavidade uterina durante o procedimento é colocado gás dióxido de carbono ou líquido de solução salina para expandir o útero. A quantidade de gás ou líquido é cuidadosamente controlada durante o procedimento.

Através do histeroscópio que transmite as imagens para o monitor de vídeo, é possível visualizar toda a cavidade do útero, verificar a abertura das tubas uterina e o interior do canal cervical.

Durante o procedimento é muito importante realizar a biópsia que ajuda no esclarecimento e confirmação do diagnóstico das lesões benignas e malignas.

 

Porque fazer e para que serve a videohisteroscopia no consultório?

A histeroscopia pode ser indicada para se descobrir por exemplo, a causa do sangramento uterino anormal que ocorre em qualquer época da vida da mulher.

Outra indicação é para saber se existe alguma alteração relacionado a forma, tamanho ou qualquer modificação no contorno do útero que cause infertilidade. Por isso, esse procedimento é solicitado em todos os casos antes de realizar a fertilização in vitro ou em qualquer mulher que tenha dificuldade de engravidar.

O procedimento também pode verificar se existe algum bloqueio na abertura do orifício das trompas (óstio tubário) que possa estar contribuindo com a infertilidade.

A videohisteroscopia é útil para o diagnóstico de infecções na cavidade uterina chamada endometrite. Por outro lado, com a histeroscopia é possível fazer o diagnóstico da incompetência istmo-cervical que é uma das causas de abortos repetidos.

Através da histeroscopia a colocação, reposição ou a remoção do DIU (Dispositivo Intrauterino) podem ser realizados com muito mais precisão. Além disso, com a histeroscopia é possível fazer a biópsia dirigida que é muito útil para o diagnóstico de lesões benignas como, pólipos, miomas e sinéquias (aderências) ou para confirmar o câncer endometrial.

 

Quais as indicações da videohisteroscopia no consultório?

A videohisteroscopia no consultório pode ser realizado para diagnóstico de:

·         Infertilidade

·         Pré procedimento para FIV (Fertilização in vitro)

·         Sangramento uterino anormal

·         Abortamento habitual

·         Pólipos

·         Miomas

·         Endometrite (inflamação do endométrio)

·         Aderências (Sinéquias)

·         Malformações congênitas do útero

·         Restos placentários

·         Espessamento do endométrio

·         Câncer de endométrio

Como referimos, através da histeroscopia no consultório a colocação, ajuste na posição correta ou a retirada de DIU é feita com muito mais segurança com a histeroscopia.

 

Como é a recuperação após o procedimento de videohisteroscopia no consultório?

Algumas mulheres podem apresentar leve cólica ou desconforto após o procedimento que melhora em pouco tempo. Além disso, dependendo do tipo de lesão encontrado na cavidade uterina, pode ocorrer sangramento vaginal com duração de alguns dias.

 

Como é realizada a videohisteroscopia no hospital?

A videohisteroscopia cirúrgica no hospital é utilizada para tratamento de lesões na cavidade uterina que foram diagnosticados na videohisteroscopia de consultório.

O procedimento de videohisteroscopia é realizado dentro do centro cirúrgico, sendo necessário a presença da equipe cirúrgica incluindo o cirurgião,  anestesista e instrumentador.

Na maioria das vezes após o procedimento a paciente permanece apenas poucas horas no hospital antes de ir para casa. É comum a paciente apresentar sangramento durante alguns dias após a cirurgia de videohisteroscopia. Algumas mulheres podem apresentar cólica de pequena intensidade que melhora com uso de analgésicos.

 

Quais o benefícios da cirurgia por videohisteroscopia realizado no hospital

Em comparação com outros procedimentos cirúrgicos mais invasivos, na videohisteroscopia cirúrgica não existe a necessidade de fazer grandes incisões ou dar pontos. Devido a isto, o período de internação é menor e a recuperação mais rápida.

Nesse sentido, após a cirurgia o uso de analgésicos é bem menor e o índice de complicações bastante reduzido. Em locais onde existem a videohisteroscopia houve redução da necessidade de se fazer histerectomia (retirado do útero). 

 

Porque fazer e para que serve a videohisteroscopia no hospital?

As lesões diagnosticadas durante a videohisteroscopia no consultório podem ser tratadas pela videohisteroscopia cirúrgica no hospital. Como qualquer procedimento cirúrgico a cirurgia por videohisteroscopia não está livre de complicações. Por essa razão a retirada de lesões da cavidade do útero pela vídeohisteroscopia devem ser feitas no centro cirúrgico de um hospital, onde existe muito mais recursos técnicos e segurança, o que reduz a possibilidade de complicações. 

 

Quais as indicações da videohisteroscopia no hospital?

Dentro do centro cirúrgico e através da videohisteroscopia podem ser feitos os seguintes procecedimentos cirúrgicos de retirada de lesões como:

·         Pólipos da cavidade do útero e do canal do colo uterino

·         Miomas submucosos (localizados na cavidade do útero)

·         Restos placentários

·         Aderências no interior do útero (Sinéquias)

·         Septos uterinos

·         Ablação de endométrio, que consiste na retirada do endométrio 

 

Como é a recuperação após o procedimento de videohisteroscopia no hospital

Os procedimentos de videohisteroscopia realizados no hospital geralmente são para a retirada de lesões da cavidade uterina, como miomas, pólipos e restos placentários, por exemplo. Esses procedimentos são cirurgias em que a mulher necessita permanecer durante algumas horas no hospital, antes de receber alta.

No pós-operatório é frequente haver sangramento uterino durante alguns dias, além disso, é recomendado evitar esforços físicos durante duas semanas. A relação sexual deve ser evitada durante 4 semanas na maioria dos casos.

Sempre que for realizado cirurgia através de videohisteroscopia é recomendado fazer uma alimentação reforçada com maior quantidade de legumes, verduras, frutas, alimentos integrais e aumento do consumo de líquidos. Nessa fase de recuperação, deve ser evitado os excessos no consumo de gordura saturada, açúcar, doces e sal. A alimentação mais saudável, vai facilitar a cicatrização e acelerar a recuperação.

 

Quanto custa ou qual o preço da videohisteroscopia

O preço da videohisteroscopia pode variar dependendo do local onde é realizado o procedimento (consultório e hospital) e também depende da região e de cada equipe médica. O procedimento realizado no consultório é mais barato do que o realizado no hospital.

 

Quais os tipos de anestesia usados para a videohisteroscopia?

O procedimento de videohisteropia pode ser feito com anestesia tanto no consultório quanto no hospital. Os tipos de anestesia para a histeroscopia podem ser, local, regional ou geral.

A diferença é que a no consultório a anestesia é local e quando o procedimento é realizado no centro cirúrgico do hospital, a anestesia é  regional ou geral como a narcose, dependendo de cada paciente. 

 

Como é o preparo para a realização da videohisteroscopia no hospital?

O pré-operatório para realização da cirurgia por videohisteroscopia consiste na solicitação e avaliação dos exames de sangue, urina, risco cirúrgico, eletrocardiograma, RX de tórax e outros exames específicos dependendo de cada paciente. Devido a anestesia que será realizada no hospital é necessário fazer um jejum previamente a cirurgia.

 

Quais as mulheres que podem fazer a histeroscopia?

Apesar das vários benefícios da histeroscopia, algumas mulheres não podem fazer esse tipo de procedimento. O médico ginecologista é que vai determinar se a videohisteroscopia é apropriado ou não para cada paciente.