Clínica de Medicina Endoscópica

Av. das Américas, 500 BL. 23 Sala 309
Shopping Downtown
Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
Cep: 22640-100
Tels: (21) 3153-7990 3153-7719

Clique aqui e conheça a clinica >

Artigos ← Voltar para Artigos

» A importância da alimentação saudável na gestação

A nossa saúde está vinculada não só a genética, como também ao estilo de vida que adotamos. E a nutrição é o principal componente do estilo de vida que influencia na manutenção da saúde. Dentre todas as etapas de vida do indivíduo, o período da gestação é o mais importante para se manter uma alimentação adequada. Ao mesmo tempo em que ocorre o desenvolvimento e crescimento do feto, o corpo da mãe sofre modificações constantes que são dependentes de vários fatores, incluindo alimentação equilibrada e continuada.

Durante a gestação, as necessidades nutricionais aumentam para desencadear as alterações do corpo materno e o desenvolvimento da vida dentro do útero. Se houver deficiência de nutrientes devido a alimentação inadequada, o bebê e a mãe ficam com maiores riscos de complicações. Atualmente já está bem estabelecido, por exemplo, que a deficiência de ácido fólico na alimentação da mulher aumenta a incidência de defeitos do tubo neural.

Uma das repercussões futuras da deficiência de nutrientes na gestação é o aumento da incidência de várias doenças crônicas no adulto. Portanto, a alimentação adequada da gestante é fundamental para a saúde do bebê e da mãe.

Portanto, o estado nutricional pode determinar tanto a desnutrição energética protéica quanto o sobrepeso ou obesidade, expressos pela diminuição ou aumento do peso ao nascimento. Se o recém-nascido for de baixo peso, com menos de 2.500 kg, terá maior possibilidade de apresentar hipertensão arterial e cardiopatia isquêmica quando adulto.  Se além da redução do peso houver restrição da proteína durante a gestação, maior será a chance ocorrer doença renal no recém-nascido. Portanto, baixo peso ao nascimento está relacionado ao aumento de hipertensão arterial, doença cardíaca e renal.

 Durante a gestação é recomendado o fracionamento das refeições, tendo o cuidado de evitar períodos de jejum prolongados. Nesse sentido, devem ser incluídas pelo menos seis refeições diárias representadas pelo café da manhã, lanche, almoço, lanche, jantar e ceia.

A ênfase das refeições deve ser dada para uso de legumes, verduras, frutas, peixes, carne vermelha e branca, bastante liquido, além do uso de polivitamínicos que é fundamental nessa fase. Isso irá proporcionar uma gestação mais saudável com repercussão favorável em todas as etapas de vida, tanto da mãe quanto do filho.

José Alexandre Portinho